O Brasil realiza uma das maiores eleições do mundo, atrás somente de Indonésia, Estados Unidos e Índia. Estar entre os maiores processos de votação significa, basicamente, ser um dos países com mais eleitores registrados. 

Três primeiros lugares

A Indonésia, com mais de 190 milhões de votantes, ocupa o 3º lugar no ranking. Vale ressaltar que no ano passado, durante o período eleitoral, a Comissão Geral de Eleições diz que 272 pessoas morreram por doenças relacionadas ao excesso de trabalho, entre um dos motivos, a contagem manual dos votos, ocorrida devido à ausência de tecnologia.

Ocupando o 2º lugar, nas últimas eleições dos EUA, em 2016, mais de 216 milhões de eleitores registrados puderam utilizar as três formas de votação disponíveis para a população. 

Em 2019, a Índia registrou mais de 870 milhões de eleitores, a maior eleição democrática do planeta. Parte disso deve-se aos benefícios da tecnologia eleitoral, que permitiu a melhora da acessibilidade em todo o processo de votação, entre eles a inclusão de braile nas Máquinas Eletrônicas de Voto (EVM).

Eleição brasileira  

Com 147,3 milhões de pessoas aptas a votar, segundo o Tribunal Superior Eleitoral, o Brasil ocupa o 4º lugar nessa lista. O TSE também diz que a quantidade de registros biométricos aumentou cerca de 239,9% desde a penúltima eleição. Vale lembrarmos também do processo de modernização das urnas no Brasil, que a cada avanço tem possibilitado que mais brasileiros tenham acesso à votação. 

O uso da tecnologia é uma marca registrada dos países com grandes eleições, afinal, tem sido uma mão na roda em todas as etapas dos processos eleitorais. Por isso a Smartmatic tem trabalhado para aumentar e garantir o acesso da população às eleições governamentais, tornando o processo democrático mais confiável, eficiente e transparente. 

COMENTÁRIOS