Biometria [bio (vida) + metria (medida)] é a medição de características físicas ou comportamentais das pessoas como forma de identificá-las. 

A tecnologia é muito utilizada em todo o mundo para controle de acesso, identificação criminal e também no cadastramento e identificação de eleitores, garantindo eleições mais seguras e transparentes. 

Mas como funciona a biometria? Ela está baseada na ideia de que cada ser humano tem características físicas e de comportamento únicas, que os torna diferentes uns dos outros. E são justamente essas características que são medidas: os olhos, a palma da mão, a digital, a íris dos olhos, a voz, a maneira de andar, entre outras.

Para identificar pessoas a partir dessas características, é preciso criar um sistema com dados acessíveis para serem analisados. Isso envolve alguns processos:

  • captura: obtenção de uma amostra biométrica;
  • extração: remoção da amostra de informações; 
  • criação de padrão: criação de um padrão único para esse cadastro, de acordo com as características reconhecíveis pelo sistema;
  • comparação: comparação com a informação armazenada.

Biometria e eleições

O registro de eleitores é uma das partes mais complexas do processo eleitoral. Em países onde não há um censo populacional confiável ou documentos de identificação seguros, o registro de eleitores é ainda mais complicado.

Por esse motivo, a biometria é um recurso que tem sido utilizado para dar mais segurança e transparência à identificação do eleitor.

Para isso, é realizado um cadastro prévio, onde são coletadas a assinatura eletrônica do cidadão, sua foto e medidas do rosto e as suas impressões digitais.

Esses dados físicos registrados permitem que, no dia da votação o eleitor seja identificado através da identificação biométrica, como a impressão digital. É um jeito muito mais seguro de realizar este processo.

O Brasil começou a implementar um projeto de identificação eleitoral através de biometria em 2008. Nas eleições de 2018, quase 60% do eleitorado estava apto a votar por meio de identificação biométrica. 

Países como México, Colômbia, Índia, Nigéria e tantos outros também têm usado a tecnologia com sucesso!

COMENTÁRIOS